Belo Horizonte   .    Brasil     © Renato Morcatti     Todos os direitos reservados.
 

 Série Incólume

Estas esculturas configuraram as conformações do pós-modernismo, o que antes impensável, desmaterializa o binômio forma-função em arquitetura e a inversão de valores dos materiais.

Criadas com entulhos, compostos por tijolos de abobe amalgamados em cimento (recolhidos das ruínas em demolição de antigas construções da Serra da Piedade), estas lascas de parede se apóiam ou se fixam sobre estruturas de aço, remetendo à arquitetura de três notórios museus do Brasil: o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, desenhado por Afonso Eduardo Reidy, o Museu de Arte São Paulo, de Lina Bo Bardi e o Museu Nacional da República de Brasília de Oscar Niemeyer. Cada museu tem em seu projeto características marcantes com novo modo de ver o antinatural, o industrial, o concreto, a modernidade e a crueza brutalista.

O todo, as caixas containers e os museus de materiais áridos, não se separam. Inverto os valores da representação, o elemento que protege e transporta as obras é de fabricação esmerada, ao tratá-lo tem que se ter atenção museológica.